Guia da Gravidez
Via maternofilial
PUBLICIDADE

O vírus está presente no leite das mães seropositivas, de forma que o aleitamento natural está contra-indicado nestes casos.

Por fim, o contágio pode ocorrer por diferentes mecanismos tanto durante a gestação, através da placenta, como no parto e mediante o aleitamento. Dado que o vírus está presente no sangue da mulher grávida seropositiva, pode transmitir-se ao feto durante o período de gestação através da placenta. O contágio por esta via pode ocorrer em qualquer momento da gravidez, embora provavelmente ocorra depois do primeiro trimestre e sobretudo em fases avançadas da gestação. Por razões não muito bem esclarecidas, tal eventualidade dá-se naturalmente em um terço dos casos, embora o risco seja muito menor se a mulher for submetida a um tratamento antivírico. O contágio também pode ocorrer no decurso do parto pela via vaginal, uma vez que o feto pode entrar em contacto com o sangue e as secreções vaginais da mãe à sua passagem pelo canal do parto. Por isso, muitos especialistas inclinam-se pelo nascimento mediante cesariana. Finalmente, o contágio pode ocorrer durante o aleitamento, porque o vírus está presente no leite materno. O risco de transmissão por esta via ronda os 15%, razão pela qual não se aconselha categoricamente que as mães seropositivas amamentem os seus filhos.

O contágio do vírus pode ocorrer durante o parto pela via vaginal.

Ainda sem comentários!

Deixe um comentário

O seu email não será publicado.
Campos obrigatório estão identificados *
~ Via maternofilial ~