Guia da Gravidez
PUBLICIDADE

Actualmente, a esterilização feminina pode ser realizada com uma intervenção cirúrgica simples e segura, em qualquer momento da fase reprodutora feminina, apesar de muitas mulheres optarem por fazê-lo após um parto. Na verdade, a operação pode realizar-se através de várias vias de acesso, quer seja por via vaginal ou, como é mais comum, mediante laparoscopia, com a ajuda de um tubo fino provido com um sistema óptico que se insere através da parede abdominal. Esta última opção é a que reúne mais consenso, dado que pode ser realizada com anestesia local e em regime ambulatório. E, quanto à técnica de bloqueio em si, hoje em dia existem numerosas alternativas.

As técnicas cirúrgicas aplicadas são várias, todas semelhantes, mas com pequenas alterações que têm como objectivo eliminar a possibilidade de falha ao impedir com maior ou menor grau uma eventual repermeabilização dos canais. Em determinados casos, faz-se simplesmente um corte e unem-se as extremidades do canal, enquanto que em outros destrói-se uma parte da trompa ou recorre-se a técnicas para garantir o distanciamento das extremidades. Nas figuras mostra-se alguns dos procedimentos cirúrgicos mais utilizados, que assentam na ligação e corte das trompas, bem como outros métodos, potencialmente reversíveis, que assentam na colocação de aros de borracha ou agrafos para obstruir as trompas.

tecnicas cirurgicas de esterilização feminina

A esterilização é uma opção a ser considerada pelos casais com uma família numerosa que já não desejam ter mais filhos.

Ainda sem comentários!

Deixe um comentário

O seu email não será publicado.
Campos obrigatório estão identificados *
~ Técnicas cirúrgicas ~