Guia da Gravidez
PUBLICIDADE

O descolamento da placenta pode ser parcial ou total, se descola da parede uterina só uma parte da base de implantação ou a sua totalidade. A separação da placenta origina sempre uma hemorragia, mais ou menos abundante em função da magnitude do desprendimento e do rompimento dos vasos sanguíneos, mas a forma de apresentação do problema varia em função da localização do desprendimento. Algumas vezes o sangue fica retido entre a placenta descolada e a parte uterina, constituindo uma acumulação que se conhece como hematoma retroplacentário, sem que chegue a exteriorizar-se.

Outras vezes, pelo contrário, o sangue derramado atinge o orifício do útero e sai para o exterior, dando lugar a uma hemorragia vaginal. Se o hematoma é pequeno, é possível que não se gerem sintomas evidentes até ao momento do parto, ainda que o mais habitual é que se produza uma hemorragia vaginal acompanhada de dores abdominais. Normalmente a hemorragia é escassa e de sangue escuro, e não de uma cor vermelha rutilante como quando se trata de sangue fresco. No entanto, também pode produzir-se uma hemorragia abundante de sangue vermelho e brilhante. De qualquer forma, a quantidade da hemorragia nem sempre reflecte a magnitude do desprendimento, dado que grande quantidade do sangue pode ficar retida em forma de hematoma retroplacentário.

Ainda sem comentários!

Deixe um comentário

O seu email não será publicado.
Campos obrigatório estão identificados *
~ Evolução e manifestações ~