Guia da Gravidez
PUBLICIDADE

À possibilidade de uma incompatibilidade Rh materno-fetal coloca-se logo no início da gravidez. São então realizadas análises de sangue para verificar se há uma predisposição da mulher, o que também pode ser consequência de uma transfusão de sangue recebida em condições incertas. Se se verificar que a mulher está predisposta, e preciso conhecer o tipo de sangue do feto, o que pode ser conseguido mediante a obtenção de uma amostra sanguínea fetal a partir de uma punção do cordão umbilical. Se se verificar que o feto é Rh+, costuma praticar-se amniocenteses periódicas. No caso de se constatar uma situação grave, o tratamento baseia-se na transfusão intra-uterina do sangue Rh- e de uma antecipação do nascimento quando o feto alcança um grau suficiente de maturidade.

se um homem Rh+ apresenta o gene que determina o antigénio D nos dois cromossomas 1, todos os filhos que tiver com uma mulher Rh- serão também Rh+. No entanto, :e apresentar o gene do antigénio D num só cromossoma 1, as probabilidades reduzem-se para 50%,

Ainda sem comentários!

Deixe um comentário

O seu email não será publicado.
Campos obrigatório estão identificados *
~ Diagnóstico e tratamento ~